Você percebe ter perdido a infância quando te convidam para analisar o balanço e não há cordas ou um parque envolvidos no processo…

Se já não gostava de ir ao balanço quando era levado por minha mãe, imagine agora que é uma contadora que me puxa pelas mangas da camisa…

Nunca fui uma criança “muito normal”!

=Dom